Pesquisar
Close this search box.

CONQUISTE SEU LUGAR NA INTERNET COM SITES PROFISSIONAIS E PELO MENOR PREÇO. CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS!

<<  VOLTAR AO INÍCIO

Elizabeth 2ª desafiou tradições para apoiar a tecnologia e a inovação

Elizabeth 2ª desafiou tradições para apoiar a tecnologia e a inovação

Compartilhe este conteúdo!

[ad_1]

A rainha Elizabeth 2a, que faleceu na tarde desta quinta (8), testemunhou grandes avanços tecnológicos em seu quase um século de vida. Desafiando as tradições de uma das instituições mais conservadoras do Reino Unido (e do mundo), a monarca adotou inovações desde o início de seu reinado, quando sua coroação foi a primeira transmitida pela TV, em 1953.

Conhecida por mudar a maneira como o Palácio de Buckingham funcionava, com uma nova postura de se aproximar do grande público, ela lentamente abriu a monarquia britânica para a chegada da televisão (primeiro em preto e branco, depois em cores), dos celulares, da internet e das mídias sociais — muitas vezes, contornando regras restritivas que vigoravam há décadas.

Um exemplo é a proibição de qualquer membro da família real britânica de ter contas pessoais nas redes sociais. Mas a rainha achou um jeitinho de burlar isso com um perfil unificado: o @theroyalfamily.

Confira essa trajetória na retrospectiva da linha do tempo.

1953: coroação na TV

Em 2 de junho de 1953, ela assumiu a posição máxima na monarquia britânica. Naquela época, as cerimônias de transição da coroa eram tradicionalmente mais fechadas, voltadas para membros importantes do governo e da família.

No entanto, a Abadia de Westminster foi televisionada por completo durante o evento, pela primeira vez na história. Foi um recorde absoluto de aduiência: 27 milhões de pessoas só no Reino Unido.

1957: discurso televisionado

A rainha entendeu logo que a tecnologia da TV seria uma aliada nos primeiros (e incertos) anos de seu reinado. Em dezembro de 1957, ela gravou sua primeira transmissão televisiva de Natal, com imagens granuladas em preto e branco. Durante o discurso ela falou sobre a “velocidade com que as coisas mudam ao nosso redor”.

1976: conectada no email

A internet nem existia ainda: o que havia era uma rede anterior, a ARPANET. Mas já foi o suficiente para Elizabeth se tornar a primeira monarca no mundo a mandar um email, em uma conexão disponibilizada pelo Royal Signals and Radar Establishment na Inglaterra (Estabelecimento de Radar e Sinais Reais, um centro de pesquisa de telecomunicações na época).

Para quem está curioso, o nome de usuário era: “Sua Majestade, Elizabeth II”.

1957: site oficial

A primeira plataforma online de seu reinado foi o site oficial na monarquia: www.royal.gov.uk. Ele foi criado durante uma visita à Kingsbury High School em Brent, em Londres. Atualmente o site mudou para: https://www.royal.uk/ e traz informações sobre a família real.

2006: podcast

Em meados de 2000, a internet ainda estava transicionando da conexrão discada para a cabeada – e podcasts, claro, não tinham a mesma popularidade de hoje em dia. Mas, mais uma vez, Elizabeth foi pioneira ao registrar seu discurso anual de Natal em uma mídia de áudio, trasnsferida com facilidade pela rede. Bastava acessar o site oficial para ter acesso ao arquivo.

2008: visita ao Google

Elizabeth conheceu a sede britânica da companhia em 16 de outubro — era praticamente sua vizinha, próxima ao Palácio de Buckingham.

A soberana chegou a ganhar um logotipo personalizado: a ferramenta de buscas substituiu seu “G” por uma representação da rainha de perfil e a letra “E” por uma coroa. Ela também aproveitou a visita para cadastrar um vídeo no YouTube, usando o canal oficial da realeza.

2012: Natal em 3D

Três anos após Avatar popularizar filmes em 3D (e, por extensão, televisões com a mesma tecnologia), Elizabeth registrou sua tradicional mensagem natalina no formato. O discurso celebrava seus 60 anos de reinado e também homenageava os atletas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Londres 2012. A rainha achou a tecnologia “absolutamente adorável”.

2014: twittando

A presença da monarca nas redes sociais começou por aquela considerada mais democrática. Seu primeiro post no Twitter aconteceu em 24 de outubro de 2014, usando o perfil de @TheRoyalFamily.

O momento era apropriado: “É um prazer abrir hoje a exposição Information Age no @ScienceMuseum e espero que as pessoas gostem de visitar. Elizabete R”. (Perceba que ela “assinou” o tweet – cumprindo normas tradicionais de etiqueta).

2019: a vez do Instagram

Nada de selfies: a rainha estreou nem 7 de março com uma foto de uma carta endereçada ao seu tataravô (marido da rainha Victória da Inglaterra).

Sua inspiração, novamente, foi o Museu da Ciência: “Hoje, ao visitar o Museu da Ciência, fiquei interessada em descobrir uma carta dos Arquivos Reais, escrita em 1843 para meu tataravô, o príncipe Albert”.

E essa postagem não poderia ser menos tecnológica. Charles Babbage, autor da carta, é creditado como o pioneiro do computador no mundo. Ele projetou o “Difference Engine”, cujo protótipo o príncipe Albert teve a oportunidade de ver em julho de 1843.

2020: videoconferência

O isolamento social provocado pela pandemia global de covid-19 mudou a estrutura de comunicação entre as pessoas, e nem a rainha passou imune. Mas, ao que parece, não teve problemas em se adaptar: sua primeira videoconferência oficial (via Zoom) ocorreu em junho, como parte de seus deveres públicos.



[ad_2]

UOL

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

MAIS ACESSADOS:

PUBLICIDADE: